terça-feira, 20 de novembro de 2007

Saudade



Domingo, 9h12, meio acordada, meio dormindo. A saudade corta o coração. Levantar pra tomar café, nem sei se terei coragem.

Uma das coisas mais difíceis de conviver é com a saudade, a vontade de estar junto, a vontade de acordar e ver quem a gente ama é enorme, não me deixa com vontade de levantar pra tomar café e seguir com mais um domingo chuvoso.

Vem-me na lembrança um cuscuz paulista com café preto, que minha amada mãezinha fazia aos domingos pela manha, era quase um ritual comer cuscuz aos domingos, as vezes ela mudava os ingredientes, mas quase sempre era cuscuz. Eu daria tudo, até um milharal inteiro, para ter minha mãe fazendo um cuscuz e reclamando porque meu pai bebeu o dia anterior e ficou enchendo o saco dela. Meu pai também gostava desse cuscuz, comia caladinho sem falar nada para não irritar a mamãe. Lembro também da minha cachorrinha (que Deus a tenha), vocês podem não acreditar mais o prato preferido dela era cuscuz, ela esperava pelo cuscuz mais do que a vontade que estou agora. Meu irmão era outro que não negava um cuscuz, sendo que ele era mais chato, sempre reclamava de algum ingrediente diferente que mãe colocava no tão idolatrado prato, acho que ele já chegou a reclamar de alguma coisa que nem tinha sido acrescentado.

É exatamente nessas horas (9h35 do domingo chuvoso) que percebo que meu tesouro (galera, não é o cuscuz), está longe, há 3050km de distancia, que vocês são realmente minha família, minha vida, meus amores. Pai, Mãe, irmão, e agora cunhada e sobrinha. EU AMO VOCES! Penso sempre em todos com muito amor recheado de saudade, queria muito o carinho de vocês agora e claro, o cuscuz de mainha.

2 comentários:

Jefferson J. disse...

pelo q tow vendo ah saudade msm
eh do cuscuz...

tipo MIcheline tah passando mal lah
sem ah comida d Dona Solange!
podscrê!

abraçaum doida!

Raisa disse...

Ahh, mamy nem gosta de cuscuz... Mas o de tia é tão bom, com aqueles ingredientes todos... hehehe
saudade sempre perturba um pouquinho, e cada detalhe parece abrir as portas de uma enxurrada de sentimentos...
a vida é sempre assim...

bjusss prima!!