domingo, 11 de novembro de 2007

Churras




Vamos Sarah, deixa de lero-lero, a gente já ta atrasada. Sai correndo da datasul (trabalho da Sarah), passa em casa, pega o dinheiro e corre pro supermercado (aquele que eu falei mal no texto lá de baixo).
Hoje é dia de churrasco no bloco “C”. A grana ta curta. Picanha? NÃO. 18reais o quilo, nossa senhora, carne cara. O jeito é apelar pra fraudinha, 7reais o quilo. É, tem que ser isso mesmo, se veio da vaca então tudo é carne (os gaúchos que me desculpem por essa).
Corre em casa, corta a carne, passa sal grosso, levo um grito “Bora Mi, anda logo”, arrumo as coisas pra festa, tomo banho, levo um outro grito, dou um mergulho no guarda-roupa, saio vestida. Chegamos no bloco “C”. Galera esperando, todo mundo esfomeado, e sedentos por cerveja. Dois engradados pagos. Começa então a cachaçada. “Depois do terceiro ou quarto copo, tudo q vier eu topo, tudo que vier vem bem...” já dizia a musica. Vamos lá pessoal, quero ver todo mundo feliz, bebendo e comendo.
Em um coro eu e a Sarah entoamos um grito de guerra: “cerveja pro meu povo”!




Um comentário:

Fernando Cavalcanti disse...

Mi, fazer a festa ao seu lado é sempre muito bom!!! E celebrar a vida com amigos é melhor ainda! comei, bebei, e alegrai vossos corações!
Esse texto deu saudades
Bjo Nando